terça-feira, 25 de setembro de 2012

O Novo-rico, esse Animal!



Se há espécie que me irrita, ainda mais em tempos de crise, é a do novo-rico.

O novo-rico fez a sua fortuna na construção quando ainda dava, saltou das juventudes políticas para as administrações de empresas ou presidências de câmara, usou e abusou de dinheiros públicos e da sua influência, colou-se às SADS de futebol como trampolins para mais altos voos. O novo-rico é mestre no domínio da vigarice e das negociatas, à falta de melhor termo o rei do “Chico-espertismo”.
O novo-rico veio do nada e por isso sente a necessidade de se exibir com toda a pompa e circunstância.

O novo-rico adora contar a toda a gente o dinheiro que tem mas declara o rendimento mínimo às Finanças.

O novo-rico conduz um Mercedes ou um BMW mas não dispensa a santinha e o peluche no vidro ou tablier.

O novo-rico veste-se nas lojas mais caras mas a indumentária parece saída de um best of de qualquer mercado ambulante.

O novo-rico julga-se famoso mas paga para aparecer na VIP e na Caras.

O novo-rico adora cães mas o seu preferido continua a ser o de louça.

O novo-rico vai aos restaurantes mais caros mas come de boca aberta, chama o empregado por pstttttt….. ou por ó chefe……… e faz questão de fazer-se notar.

O novo-rico não come, devora.

O novo-rico pensa que espumante é champanhe de má qualidade.

O novo-rico julga-se chique mas não tolera um casamento sem toneladas de marisco e leitão.

O novo-rico não viaja para se entreter ou cultivar mas para se gabar entre amigos e conhecidos. As mais das vezes o mais longe em que esteve foi na piscina do hotel.

O novo-rico diz que se preocupa com o ambiente mas continua a pensar que o aquecimento global é uma solução de climatização doméstica.

O novo-rico tem todos os canais por cabo mas só vê os programas da manhã e a TVI.

O novo-rico julga-se fino mas não respeita as mais elementares regras de boa educação.

O novo-rico não fala, berra.

O novo-rico acha-se erudito mas não sabe articular uma frase e para ele os livros não são mais do que parte da decoração.

O novo-rico tem uma Montblanc mas pouco mais sabe do que escrever o próprio nome.

O novo-rico não conhece a História de Portugal mas é uma verdadeira enciclopédia de fofoquices.

O novo-rico nunca ouviu falar em Mandela, Hemingway e Gaudi mas sabe na ponta da língua o nome dos concorrentes e familiares de qualquer reality show.

A mulher do novo-rico não trabalha mas “habita” todos os shoppings, lojas, salões de estética, cabeleireiros.

A mulher do novo-rico tem um intelecto de uma criança de 10 anos, o interesse de um girino, é plastificada da testa às unhas dos pés e enfeita-se que nem uma árvore de natal.

Os filhos do novo-rico “estudam” nos melhores colégios mas não passam de pirralhos mimados e presunçosos.

(…)

Deixo-vos agora espaço para continuarem esta “cartilha”. Beijos e abraços.


Sem comentários:

Publicar um comentário