domingo, 30 de dezembro de 2012

Allo Allo faz 30 Anos





A genial sitcom “Allo, Allo” faz hoje 30 anos. Foi a 30 de Dezembro de 1982 que René Artois nos deu pela primeira vez as boas vindas ao seu café na pequena vila de Nouvion, numa França ocupada pelas tropas nazis em plena Segunda Guerra Mundial.



 

David Croft e Jeremy Lloyd são os mentores desta brilhante série da BBC, em exibição de 1982 a 1992, que nos mostrou um lado bem diferente e humorado de tão devastador conflito.

Segundo consta o propósito da sitcom não era brincar com a Segunda Guerra Mundial mas sim parodiar outros programas sobre o tema como o drama da BBC “Secret Army”.

Apesar de ser um petiz nos primeiros anos da série, cedo fui descobrindo os seus encantos e divertindo-me renovadamente cada vez que revi a série. Mesmo hoje, conhecendo cada episódio de fio-a-pavio, sei que a gargalhada está garantida.


Para a história ficam incríveis personagens e tiradas que não nos cansamos de repetir:

René Artois (Gordon Kaye): O dono do café onde se cruzavam alemães, resistência e aliados, é também o mais improvável pinga-amor que poderíamos imaginar. Casado por conveniência com a insuportável Edith (nunca nos esqueceremos do “You stupid woman!”), René exercia uma estranha aura de fascínio sobre as mulheres (e sobre o enfeminado e medroso Lieutenant Hubert Gruber; Guy Sinner ) começando pelas sensuais criadas Michelle e Yvette. 


Personagem dono de uma proeminente barriga, meio estrábico, e com um assinalável bigode, René não hesitava em auxiliar as duas fações, tudo para se manter a salvo. Cobarde o quanto baste, René tornar-se-ia ainda assim um improvável herói da Resistência muito pela forças das circunstâncias que muito o ultrapassavam. Para além disso era ele que escondia o muito ambicionado quadro “ The Fallen Madonna with the Big Boobies” de Van Klomp com que todos sonhavam lucrar depois da Guerra.


Edith Melba Artois (née La Fan) (Carmen Silvera) – A mulher de René e uma cantora de cabaret falhada, isto apesar de crer piamente nos seus dotes vocais. O que é certo é sempre que entoa uma canção põe toda a gente a fugir ou como fazem os oficiais alemães, nada como um pouco de queijo nos ouvidos para tapar qualquer som. 


Ciumenta pela atenção de que René é alvo, acredita em todas as mais inolvidáveis desculpas deste. É alvo) do amor declarado do cangalheiro Monsieur Alfonse (Kenneth Connor) – "Alfonse, undertaker, swiftly and with style, vitima do seu frágil coração que o faz desmaiar “my dicky ticker".


Madame Fanny La Fan (Rose Hill) – A rabugenta (e surda que nem uma porta) mãe de Edith, sogra de René (a quem este gentilmente apelida de “you old bat”), em cujo quarto no sótão do café se escondem os pilotos da força aérea britânicos Fairfax and Carstairs (John D. Collins and Nicholas Frankau) , isto para não falar no clandestino aparelho de rádio para comunicar com Londres.  


Madame Fanny, que só sai da cama esporadicamente para substituir Edith nas suas intervenções musicais (diga-se com igual ou pior resultado), não dispensa o seu Gin e é lesta a mostrar o seu desprezo, cuspindo sobre os alemães e colaborantes ("The Gestapo, I spit on zem"). 

Quando quer fazer-se ouvir dispara a bater com a bengala no chão enquanto entoa um lamentoso "Will nobody 'ear the cries of a poor old woman?"


Agente Crabtree (Arthur Bostrom): O infiltrado espião britânico, disfarçado de polícia local, com uma muito peculiar pronúncia “francesa”. O saudoso “Good Moaning” ou “I was pissing by our café” ou ainda “It was a dick night”, entre outras expressões, fazem-nos de imediato rir. 


Michelle “de la Resistance” (Kirsten Cooke): “Listen very carefully, I shall say this only once”. Quem não se lembra desta tirada?
A dura e corajosa líder da Resistência local, fazia sempre a sua “discreta” entrada pela janela das traseiras do café. Munida de gabardina e boina preta, parecia não haver quem lhe metesse medo…talvez só temesse a meia paixoneta que parecia nutrir por René.


Herr Otto Flick (Richard Gibson): O sinistro oficial da Gestapo, afilhado do temido Heinrich Himmler . Vestindo uma gabardine preta, de óculos e expressão séria, Otto Flick era tao conhecido pela sua crueldade como pelo seu exagerado coxear (aliás marca dos operacionais da Gestapo na série). 


 Provido de tantos sentimentos como um bloco de cimento, Otto Flick não escapava ainda assim a uma paixoneta pela atraente pela soldado Helga Geerhart (Kim Hartman), secretária do corrupto Coronel Von Smallhausen (Richard Marner) , com quem planeava casar depois da Guerra. As curvas de Helga e a vasta selecção de lingerie não deixavam ninguém indiferente.


A lista de personagens emblemáticos é longa e, além dos já referidos, não nos esqueçamos do apalermado e pseudo-galã  Capitão  Alberto Bertorelli (Gavin Richards), do “mestre dos disfarces” Monsier LeClerc (Jack Haig) “It is I, LeClerc”, e do impiedoso Major-General Erich Von Klinkerhoffen (Hilary Minster).

Deixo-vos aqui o episódio especial feito em 2007, um reencontro especial:



Sem comentários:

Publicar um comentário